Press

Matéria Folha de São Paulo – Abril 2016folha


 

20160320144050

Styling by Lilian Rossini para Carol Gregori


 

Matéria Canal Bandeirantes – Dezembro 2014


Matéria Revista Veja – Outubro 2013materia veja


 

Matéria IG – Dezembro 2013 (clique para ver a matéria completa)

Bons presenteadores acertam em cheio sem necessariamente gastar muito. Saiba como se tornar um deles

Giovanna Tavares – iG São Paulo | 12/12/2013 05:00:57

O dilema de escolher o presente perfeito se agrava no final do ano, com a ceia de Natal marcada com parentes que você só vê de vez em quando e o amigo secreto organizado entre colegas de trabalho. Para se tornar um bom presenteador, daqueles que conseguem arrancar sorrisos sinceros das pessoas presenteadas, é fundamental desacelerar a rotina e se dedicar à procura de uma lembrança com algum significado.

Materia IG - foto 1

Um bom presente é aquele que consegue transmitir uma mensagem de consideração e carinho para o presenteado, independentemente do seu valor

Em essência, os bons presenteadores prestam atenção aos detalhes de cada pessoa, sabem dividir o “eu” do “outro” na hora da escolha e adoram datas festivas, em que podem surpreender a todos com criatividade e irreverência. São pessoas que se importam em agradar quem está ao seu redor.

“O presente carrega uma mensagem subliminar. Por meio dele você expõe a consideração que sente pela pessoa, o cuidado que teve ao pensar em um agrado para ela”, afirma a consultora comportamental Ivna Muniz. Sendo assim, os bons presenteadores sabem que um presente tem o poder de reforçar ou enfraquecer relações, dependendo da maneira como a pessoa se sentir após o agrado: prestigiada ou, na pior das hipóteses, ofendida.

Ao contrário do que muita gente acredita, dinheiro não é garantia de um presente perfeito. “O valor gasto não tem a menor importância. O que deve pautar a escolha é observação do estilo de vida da pessoa que vai ser presenteada, para evitar gafes”, pontua a personal shopper Lilian Rossini. Às vezes, algo muito caro pode passar a impressão de que o presenteador está mais preocupado em se exibir, o que acaba constrangendo o outro lado.