Arquivo da tag: anos 60

Biquini hot pant double

Pode até ser que você não reconheça o nome, mas com certeza já viu um biquíni hot pant nas lojas de beachwear. Releitura das roupas de praia dos anos 60 que virou tendência e ganhou as vitrines, o biquini do ano é de cintura super alta! É um modelo bem interessante e confortável, ainda mais se você não se importa com grandes marcas de sol. Mas por ser muito diferente do que as brasileiras estão acostumadas, causa certa estranheza logo de cara.imagem 1 biquini hot pant double

Pensando que o novo modelo da estação causaria duvidas nas clientes, que em muitos casos desistiriam da peça por medo de ser uma tendência passageira, as marcas lançaram alguns modelos apelidados de double.

O double nada mais é do que um hot pant dupla face, então você pode curtir o modelo altinho na cintura e quando enjoar  – no próximo ano ou quem sabe até no mesmo dia – pode dobrar um bom pedaço do biquíni e deixa-lo com uma modelagem menor.imagem 2 biquini hot pant double

A ideia de transformar uma peça super fashionista em algo versátil e adaptável,  provavelmente fará com que muitas mulheres se permitam experimentar o modelo, pois se mudarem de ideia é só dobrar e a peça se torna um biquíni comum.

Além disso, é perfeito pra quem adora uma novidade, mas tem medo de investir em uma peça de maior qualidade e com custo mais alto em uma moda passageira. Nesse caso, o biquini não será uma peça pra ser usada apenas nesse verão.

Gosto muito dessas peças mutáveis, é uma maneira de fazer com que as tendências sejam mais aceitas pela população, pois a maioria das pessoas tem medo do novo, mas até aceitam arriscar se conseguirem voltar pro jeito antigo caso mudem de ideia.

 

Fonte:

Fotos do site da marca Salinas (salinascompras.com.br)

Colorido atemporal dos anos 60

Uma das inúmeras coisas que a gente aprende na faculdade de moda é a distinguir a maneira que as pessoas se vestiam de acordo com as décadas. Shapes, estilos e cores caracterizam uma determinada década na moda e assim as referencias são construídas. Porem a partir dos anos 2000, essas referencias começaram a se mesclar e não temos mais uma moda exata que defina nosso período de tempo. Com os avanços tecnológicos, acesso a informações em tempo real e um mercado que muda muito rápido, ficou impossível ter  a mesma moda por 10 anos e o atual agora é um mix muito bacana de milhões de inspirações.

Junto com esse boom de peças que “entram e saem” de moda muito rápido, sempre existem os clássicos, que são as peças atemporais que sobrevivem com muita graça e elegância à todas as tendências passageiras. Normalmente pensamos nessas roupas com cortes retos, cores neutras e sem muita invenção, mas o fato é que o atemporal não se restringe apenas no básico, mas já criou uma família muito maior, cheia de cores e estampas.imagem 1 colorido atemporal dos anos 60imagem 2 colorido atemporal dos anos 60imagem 3 colorido atemporal dos anos 60

Esse momento de união das décadas criando um atemporal amplo, não poderia ser melhor identificado do que na exposição da Rhodia que está no Masp, onde muitas peças dos anos 60 (as mais interessantes e usáveis hoje em dia do ano 1968) poderiam sair dos manequins do museu agora mesmo e começar a desfilar pelas ruas sem cara de fantasia.imagem 4 colorido atemporal dos anos 60imagem 5 colorido atemporal dos anos 60

Essas peças têm modelagens muito usadas hoje, ou que foram usadas dois anos atrás e até mesmo algumas coisas mais diferentes que eu aposto que em breve voltam para as araras das lojas. Além disso, o jogo de cores e as misturas de estampas não poderiam ser mais atuais.imagem 6 colorido atemporal dos anos 60imagem 7 colorido atemporal dos anos 60

É uma ótima percepção do mundo da moda, estamos mais livres para nos vestirmos do jeito que nos sentimos bem, não existe muito mais o conceito rígido do fora de moda, mas sim o de adequação para momentos de vida. E muitas peças do armário da vovó podem sair na rua com muito estilo.imagem 8 colorido atemporal dos anos 60Pra quem ainda não visitou, a exposição fica no Masp até fevereiro e a entrada inteira custa 25 reais, porem as terças é gratuita pra todo mundo. Recomendo, é um passeio ótimo, cheio de história, referencias e moda.

 

Fonte:

Todas as fotos foram tiradas por mim na exposição da Rhodia no Masp.