Arquivo da tag: comprar

Compras na Black Friday

Como o próprio nome diz, a black Friday é só na sexta, porem existem muitos estabelecimentos que esticaram o famoso dia de descontos pra semana inteira. Então ninguém precisa esperar até dia 27 pra chamar de seu algum produto que está pensando em comprar.imagem 1 compras na black friday

Mas para evitar que essa comemoração estendida se transforme em pesadelo financeiro depois, aqui estão algumas dicas para ter em mente na hora das compras:

– Faça uma lista dos produtos: Fica mais fácil não se esquecer de nada e saber realmente o que está precisando.

– Tenha um orçamento: Esse é o melhor caminho para aproveitar uma liquidação sem enfiar o pé na jaca.

– Foco na compra: Vá direto ao ponto e busque só os itens desejados.

– Cuidado com as tentações: Um monte de lojas vão querer te puxar pra dentro, entre somente nas que fazem sentido pra você.

– Não caia no conto do “tá barato”: Tudo que não serve pra você, seja por estilo, tamanho ou necessidade, não é barato, mesmo que custe 1 centavo. Gastar com peças que não se encaixam na sua vida é o maior jeito de desperdiçar dinheiro, não importa o valor do desconto. Pense que o barato pode sair caro.

– Comida é sua amiga: Tem gente tão alucinada por comprar que se esquece de comer, mas lembre que você precisa de energia pra aproveitar as compras e pra pensar com clareza se está fazendo um bom negócio.

– Divirta-se: Além de trazer bons achados pra casa, divirta-se, afinal, fazer compras deve ser uma experiência prazerosa.

Agora dá pra aproveitar ao máximo a temporada dos descontos e se precisarem de alguma coisa, é só dar um grito pra gente, o Compras com Estilo vai passar por vários shoppings essa semana.

 

Fonte: foto de artista desconhecido

Guia de compras em cinco passos

Um armário inteligente sempre é composto por boas peças, não precisa ser numa quantidade absurda, mas todas elas devem conversar com o seu estilo e formar boas composições, assim, as possibilidades de looks aumentam usando as mesmas peças combinadas de maneiras diferentes.

Não é uma tarefa fácil, mas com um pouco de pratica a gente consegue resolver o terrível “não tenho nada pra vestir” e começa a comprar com sabedoria somente roupas que servem pra nossa vida.

Pensando nisso, fiz uma escadinha fashion pra te acompanhar nas suas próximas compras e te ajudar nessa missão. A ideia é simples, se a roupa subiu o degrau da escada, tem mais chances de ser comprada, mas se parar pelo meio do caminho é porque você deve buscar outra opção.imagem 1 guia de compras em cinco passos

Isso vale pra todos os tipos de roupa, tanto para trabalho, como lazer, viagem e esportes. Só roupa de festa que foge um pouquinho disso, mas é possível adaptar.

Leve a escadinha na próxima vez que você for às compras e se a roupa nova conseguir chegar ao topo, parabéns, tá aí uma ótima companheira pro seu armário!

Comprando e vendendo no Enjoei.

Provavelmente você já deve ter ouvido falar do Enjoei, certo?! Apesar do nome conhecido, muita gente ainda tem duvidas sobre o site. Como faz pra comprar, pra vender e se realmente vale a pena criar uma lojinha de enjoos.imagem 1 enjoei site

Eu fiz uma lojinha dois meses atrás e comecei a testar tudo, então vou falar sobre as perguntas que sempre escuto sobre o site.

– Vale a pena vender? Sim, vale a pena. Dá um trabalhinho pra tirar fotos, atualizar produtos e ficar de olho nas perguntas dos possíveis compradores. Mas quem não quer fazer uma grana extra com coisas que estão em casa sem uso?!

– É fácil de comprar? Sim, é fácil, você pode comprar com cartão ou boleto e a partir do momento que seus dados já estão no cadastro a compra é feita com um clique.

– Tem troca? Na verdade o que tem é devolução, se não gostar do produto é fácil devolver e receber o reembolso.

– Quem paga o frete? Isso depende do vendedor, ele pode cadastrar frete grátis (pra sua cidade, estado ou o país inteiro) cobrar por peso ou entregar em mãos, no caso de peças grandes ou produtos delicados.

– Como vou receber? Depois que o cliente recebeu o produto, o dinheiro é liberado em oito dias na sua conta Moip. O Moip é um site estilo paypal, onde você cria uma conta e depois pode mandar o seu dinheiro que está lá para sua conta normal. A partir de 150 reais, não existe nenhum tipo de taxa para a transferência.

– Posso vender qualquer produto? Sim, pode vender produtos novos e usados, praticamente de qualquer estilo. Lá têm roupas, acessórios, coisas pra casa e até coisas mais incomuns como carros. Feel free pra vender o que quiser! Mas sempre tem que passar pela aprovação do Enjoei que leva até 72 horas, às vezes acontece rápido e outras demoram o prazo todo.imagem 2 enjoei site

– Como são feitos os preços? Cada vendedor pode colocar o preço que quiser nos produtos. Às vezes os compradores fazem ofertas menores e o vendedores podem aceitar, fazer uma contra proposta ou recusar.

– O que eu pago por esse serviço? O enjoei cobra 20% de cada produto vendido mais dois reais de anuncio. Mas se o seu produto não foi vendido você não paga nada.

– Quem é responsável pelo envio? O vendedor é sempre responsável por enviar os produtos. O enjoei manda o endereço ou a etiqueta dos correios (no caso de frete “cobrar por peso”) e o vendedor faz a caixa e leva até os correios.

– Rola reembolso da caixa? Não, isso é por conta do vendedor.

– Sempre tem promoção no site, sou obrigado a participar? Não, o vendedor escolhe se quer ou não participar de cada promoção. Mas é interessante participar porque os produtos ganham destaque e é mais fácil vender.

– Pra que servem os seguidores e os yeahyeahs? Seus seguidores sempre são avisados quando tem novidade na sua lojinha.  E quem yeyezou os produtos também é avisado quando rola desconto ou promoção.

– Tudo é feito pelo site? Sim, todas as vendas e compras são realizadas através do site ou do aplicativo que o Enjoei tem pra IOS e Android, então dá pra controlar sua lojinha o tempo todo, até quando você só tem o celular por perto.imagem 3 enjoei site

Essas são as principais duvidas que já chegaram aqui no Compras com Estilo,  se quiserem saber alguma coisa que não está no post, fiquem a vontade pra perguntar, já virei uma especialista no assunto! Hehe.

Gostei bastante da experiência, é uma ótima maneira de desapegar de coisas que estão encostadas em casa – acreditem, a gente sempre tem muitaaa coisa que não usa – e ainda fazer uma graninha extra. Pra comprar também é uma boa, tem muita coisa interessante que não existe em loja e os preços na maioria das vezes são atrativos e podem ser negociados.

Quem quiser ver a minha lojinha pra ter uma ideia de tudo que eu falei ou até mesmo pra levar alguma coisa pra casa, ela tá aqui!

 

Fotos: print do site enjoei

O que está errado no mercado de moda

O meu trabalho é ajudar pessoas a encontrarem o que precisam e comprarem com sabedoria. Não trabalho com celebridades, nem diretamente com o mercado de luxo, mas sim com as pessoas comuns, que estão por toda a parte e vivem do mesmo modo que você que está lendo esse texto, e não como a atriz da novela ou a blogueira do momento. E são essas pessoas que realmente fazem a moda girar e as marcas se sustentarem, mas aparentemente, muitas empresas se esqueceram disso. Talvez essa seja a razão de tanto produto encalhado e vendas perdidas. Ok, estamos num momento econômico difícil, mas esse não é o único fator que barra as pessoas na hora de passar o cartão em troca de alguma mercadoria.  imagem 1 o que está errado com o mercado de moda

Vou usar um exemplo que vivenciei nesses últimos dias com 4 clientes, as botas. Mas o fato é que isso não acontece só com o setor de calçados, mas com praticamente tudo que está nas vitrines.

-Personalidade sutil: Está difícil encontrar produtos com uma personalidade discreta. Em tempos de Instagram, a foto mais elaborada realmente chama a atenção e cresce o olhar, mas no dia a dia, isso nem sempre é pratico e usável.  A quantidade de produtos diferentes e de “fashionistas” é enorme e eles dividem a prateleira com as coleções básicas que sustentam as lojas todos os anos, mas cadê o meio termo? Achar bota cheia de taxas, laços, tecidos e estampas é fácil, aquela preta lisa também tem aos montes. Mas quando você procura um meio do caminho é uma tarefa quase impossível.

– Verão no inverno: Lançamentos antecipados são gostosos e causam aquela sensação de “estou sempre por dentro da ultima tendência”, mas vemos tantos preview, resort, verão, alto verão e sei lá mais quantos nomes queiram dar, que chega a ser ridículo perceber que no começo de julho não conseguimos achar muitas botas para comprar, mas já podemos encontrar uma pontinha da coleção de verão nas prateleiras! Serio?? Estamos no auge do inverno e não tem sapato de frio a venda?? Se tem são meia dúzia de opções sem numeração. Por mais bacana que seja se antecipar e lançar primeiro, o negócio tá ficando tão invertido que as pessoas não encontram o que precisam no momento certo, sempre tem que comprar pensando na próxima estação e considerando o consumidor que não vive de moda e pouco se importa com a ultima tendência da passarela, isso vira um desespero.

– Não ganhamos em Libra: Eu sei, os impostos estão altos, o aluguel é um absurdo e os serviços utilizados custam uma fortuna, mas os preços estão ficando irreais e o consumidor não aguenta ou não quer pagar valores exorbitantes por tudo que ele precisa. As vezes fico com vergonha de dizer aos meus clientes o valor que eles precisam pagar por produtos de qualidade razoável, pois os preços praticamente duplicaram. Alguns anos atrás, se comprava uma bota bacana por 250 reais, hoje, a mesma bota já está na faixa dos 450, 500. Aí o consumidor pensa duas vezes e acaba comprando menos, já que precisa desembolsar tanto pelos produtos.

– Todo mundo quer vender pra Gisele: Ô mania chata de focar os produtos na mulher jovem, endinheirada, viajada e com corpo escultural. Esse publico existe? Claro que sim, mas já está saturado e uma porcentagem bem grande do mercado real não se enquadra nessas características. Marcas, vamos parar de oferecer só produtos pras Angels da VS e começar a enxergar quem são de fato as mulheres que estão aí todos os dias!  O salto 15 é lindo e incrível, mas pra trabalhar todo dia, um salto 5 é bem mais interessante. O mesmo vale para calças tamanho G que vestem manequim 40 e por aí vai.

Não trabalho com campanhas, marketing ou criação para clientes ideais, mas estou todos os dias com os consumidores reais, que muitas vezes querem comprar, mas não conseguem!

 

PS: foto do site tellwut.com

Comprona x Comprinha

Acontece bastante com as clientes aqui do Compras com Estilo a duvida na hora das quantidades. O quanto é necessário comprar de cada item? Qual o melhor jeito de fazer isso, de uma única vez ou em pequenas porções? Claro que cada caso é um caso, mas mais importante do que a quantidade, é a variedade de visuais que cada peça oferece.imagem 1 comprona x comprinha

Quando começamos um armário do zero, independentemente do motivo, é preciso investir numa quantidade maior de peças, pois uma única roupa não é suficiente para renovar um estilo e fazer o guarda roupa se adequar as novas necessidades do dono. Porem não é preciso abarrotar as gavetas numa única saída.

No inicio é melhor optar por uma comprona para conseguir uma base de peças chaves e básicas e aos poucos ir juntando novas companheiras para criar novos visuais. Cada estação tem seus itens essenciais,  mas vamos aproveitar o calor e falar sobre as peças de verão. O mínimo para criar sua base de novo armário é investir em 3 calças, 2 saias, 2 vestidos, 7 blusas, 2 sapatos, 1 bolsa e 2 cardigans. A partir disso já dá pra sobreviver e trazer novas peças para o armário aos poucos.

Fiz o post falando de peças femininas porque são as que mais aparecem por aqui, mas a dica também serve para os homens. Começar de um em um é um jeito muito lento de conseguir o resultado desejado. Trazer 20 sacolas cada vez que vai ao shopping também é excessivo. Então a dica é começar com uma comprona e ir trazendo novos integrantes aos poucos com comprinhas.

 

PS: foto do filme Delírios de Consumo de Becky Bloom.