Arquivo da tag: disney

365 dias de Natal

Não faz nem um mês que passou e hoje ouvi minha mãe dizendo que estava com saudade do Natal!! Cada doido com a sua mania, a dela é Natal! Então lembrei de uma loja em Orlando que é destinada a pessoas com a mesma paixão da minha mãe, o Natal.

A Days of Christmas fica no DownTown Disney (existe uma menor chamada Ye Olde Christmas Shoppe no Magic Kingdom) e vende artigos natalinos e temáticos o ano todo, não importa se estamos a quase um ano do próximo Natal. Mesmo fora de época trazer os enfeites no estilo dos personagens é muito tentador e a loja está sempre cheia, de gente e de produtos.DSCN2181

Ela fica localizada bem próxima à saída dos ônibus do complexo na área Marketplace  e é bem maior do que muitas outras lojas que vendem artigos de cozinha ou artes. Mas não é uma surpresa, já que podemos encontrar todos os tipos de enfeites natalinos imagináveis, acho que a única coisa que eles não vendem é a arvore em si.

Independente da época do ano os preços não são baratos, existe jogo de 4 bolas por 20 dólares e um único enfeite em formato de personagem para pendurar na arvore em torno de 17,00. Mas esse tipo de produto nunca custa pouco em nenhum lugar do mundo, então se você curte os personagens e os enfeites vale a pena comprar.DSCN2171

Outra coisa bacana, não só nessa loja, mas em todas as da Disney é que os produtos delicados são muitooo bem embalados (às vezes até demais) para não estragarem no percurso. Eles se preocupam com as peças para que cheguem inteiras na casa dos clientes.

Enfim, quem curte Natal e pretende visitar a Disney deve colocar a Days of Christmas no roteiro, não importa o mês da viagem!

Como foi participar de uma autentica Black Friday!

Acabei de voltar de férias, passei 20 dias em Orlando me apaixonando pelos parques, comidas, paradas, shows e, como não poderia ser diferente, pelas compras. Essa foi a quarta vez que estive na terra do Mickey, mas em relação as compras, nenhuma viagem foi tão diferente quanto essa, principalmente porque participei da black friday.

Já faz um tempo que o Brasil tenta imitar a bendita sexta dos descontos imperdíveis, mas vivenciando esse dia nos Estados Unidos, percebo que não chegamos nem perto. Inicialmente minha intenção não era fazer compras nesse dia (tava com medo da reputação de horas na porta pra se estapear por alguma coisa, ainda mais porque não queria nenhum eletrônico, que diz a lenda, ser o que mais compensa nesse dia) mas sem querer acabei no meio da galera.

No meu roteiro, o dia de compras foi planejado pra três dias antes do Thanksgiving, porem uma chuva não planejada acabou mudando tudo de ultima hora. Fui fazer compras em outro dia e não consegui visitar tudo que queria, aí algumas lojas ficaram para outros dias, depois dos parques da Universal que fechavam mais cedo.imagem 1 autentica black friday

Na própria quinta, dia 27, saí do parque e resolvi ir ao Outlet Premium da International Drive, já que era bem próximo e eu teria duas horas pra aproveitar as compras antes da multidão chegar depois de fatiar o peru pra ficar na fila pelos descontos do dia seguinte – pelo menos, era o que eu achava-. Cheguei lá e comecei minhas compras pelas lojas que eram minha prioridade, até que as 11 horas se aproximaram e comecei a correr como doida pra conseguir ter tempo pra tudo. Quando o relógio marcou 23h eu estava na Victoria’s Secret com os braços cheios de sutiãs e calcinhas e achei estranho que a loja continuava bombando e de portas abertas. Sai de lá e como quem acaba de vestir uma capa da invisibilidade e pulei pra loja do lado antes que as portas se fechassem. Na saída percebi que nenhuma porta se fechou e que o outlet estava mega lotado. Aí comecei a andar com calma e entrar em todas as lojas que faziam meu coração acelerar.imagem 2 autentica black friday

Nesse momento ocorreu um movimento muito engraçado, e depois de rir da cara dos outros, me juntei a eles como a mais feliz das crianças quando abre um presente de aniversario (que tinha sido oito dias antes, então me considerava ganhando um presente atrasado). A maioria das pessoas não estavam mais carregando sacolas, mas sim malas!! E não era aquela malinha teoricamente pequena que tem gente que teima em socar nos bagageiros do avião, mas sim as mega malas, das maiores que você pode colocar até uns 35kg se souber arrumar direitinho. Tinha gente que não se contentava com uma, mas com duas ou quem sabe três, alem do combo mala + sacolas! No começo dei muita risada, afinal, era meio cômico ver tanta gente levando as malas pra fazer compras, mas com o passar das lojas, percebi que eles tinham razão e corri em busca de uma nova companheira de rodinhas pra me ajudar no processo, afinal, eu só tinha levado uma, então podia me dar ao direito de voltar pra casa com duas sem dor de cabeça.imagem 3 autentica black friday

Não sei se vocês lembram de uma época em que os shoppings de São Paulo abriam as portas na madrugada do dia 23 para 24 de dezembro e os corredores pareciam verdadeiros formigueiros abarrotados (sim, desde a adolescência eu já era fascinada por compras, mesmo que fosse a dos outros). Aquela noite no Outlet me fez lembrar dessas aventuras, só com uma pequena diferença: lá as coisas realmente são baratas!!

Então as duas e meia da manha eu fiquei cansada e percebi que minhas finanças também se esgotaram da brincadeira. Mesmo com comidas gostosas, musica alta pra animar e um verdadeiro paraíso para os apaixonados por compras, era hora de voltar pra casa, ou no caso, pro hotel!imagem 4 autentica black friday

Antes de sair dei mais uma espiada na situação e descobri que aquilo duraria a noite toda e o dia inteiro, até as 23h do dia seguinte. É, eu não aguentaria meeeeesmo até o fim, ainda mais porque algumas horas depois tinha parque outra vez. Pra terminar com mais umas risadas, peguei duas americanas brigando pela minha vaga no estacionamento.

Enfim, valeu muito a pena participar! Claro que as numerações acabaram, nem sempre tinha o que a gente procurava e tava tão lotado que até desisti de entrar em algumas lojas como a Coach que estavam com fila na porta de umas 50 pessoas. Mas foi muito positivo, comprei muita coisa boa e gastei muito menos do que imaginava. Dá próxima vez que eu estiver por lá na Black Friday, com certeza vou reservar uma madrugada planejada para as compras!

Tem muita coisa que ainda quero contar sobre compras em Orlando, desde a viagem em si até bons achados e algumas coisas que não valeram a pena, mas não tinha como não começar os posts pós férias com outro assunto que não fosse eu no meio da madrugada empurrando uma mala de rodinha grande dentro de um shopping!

 

PS: não tirei muitas fotos porque não sabia como seria a reação das pessoas e também porque eu tava empolgada demais pra fotografar! =P

Escolhendo hotel em Orlando

Um dos destinos que mais vejo nas agencias de viagem é de longe Orlando. Pessoas de todas as idades se encantam com uma visita ao mundo magico da Disney e das compras. Mas para ter uma boa viagem, pensar com antecedência é fundamental. Como grande parte das idas a terra da magia acontece em julho, pra aproveitar as férias escolares e o verão no hemisfério norte, já tá mais que na hora de fazer planos.

Um fator que as pessoas as vezes não dão tanta importância, mas ajuda bastante nos dias de viagem é escolher o hotel certo. Muita gente opta de cara pelo mais barato, mas lembre-se de que o barato, as vezes sai caro, tanto em termos de tempo quando em outros gastos.

Eu já fui pra Orlando 3 vezes, duas delas quando já era adulta, então conheço bem como as coisas funcionam e sempre que alguém me pergunta eu indico, sem sombras de duvidas, os hotéis do complexo Disney. Pode ser um pouco mais caro, mas as recompensas valem a pena.imagem 1 escolhendo o hotel em orlando

Em primeiro lugar, a Disney oferece um sistema de transporte gratuito do aeroporto até seus hotéis. O aeroporto de Orlando possui uma área inteira destinada a Disney, onde os hospedes se dividem em filas de acordo com os hotéis e entram em ônibus que os levam ao destino final. Alguns hotéis se juntam no mesmo veiculo, mas não chega a demorar tanto que não compense economizar no taxi e ainda assistir a vídeos sobre os parques e já se informar de tudo. O mesmo serviço é disponível na volta ao aeroporto.

Ainda falando dos ônibus, todos os hotéis do complexo disponibilizam ônibus gratuitos que levam os hospedes a todos os parques e trazem de volta depois de um dia de diversão. As vezes eles saem bem cheios, mas têm ar condicionado e são bem mais confortáveis que os transportes que pagamos aqui em SP.imagem 3 escolhendo hotel em orlando

Horas extras são o melhor atrativo pra quem fica em um hotel Dinsey. Cada parque tem alguns dias da semana que permanecem abertos com horário estendido somente para os hospedes. As vezes acontece pela manha e outras pela noite, mas os clientes dos hotéis tem horas extras pra brincar todos os dias com menos fila.

Entrega no quarto é mais uma das comodidades pra quem se hospeda por lá. Em todas as lojas de todos os parques e centros de compras da Dinsey, o cliente não precisa carregar sacolas, basta comprar e mandar entregar no quarto. A entrega chega um dia depois e você não precisa carregar peso enquanto passeia nem gastar nada a mais por isso.

Estacionamento grátis é mais um conforto para os hospedes, que não precisam pagar pra deixar o carro nem no hotel nem nos parques Disney.

E toda a graça dos personagens e coisas temáticas que vão desde as toalhas do banheiro até as panquecas do restaurante fazem a viagem ficar ainda mais especial. Para os fãs dos filmes é sensacional.imagem 2 escolhendo hotel em orlando

Pra quem pensa que tudo isso custa uma fortuna, não é bem assim. A Disney possui hotéis luxuoso, moderados e até os econômicos, esses últimos sendo a rede All Star, o Pop Century, e o Art Of Animation. Além de mais em conta, todos eles são super temáticos e divertidos.

Com tantas vantagens, com certeza vale a pena pensar com carinho e escolher um deles pra se hospedar na sua próxima visita a Disney!

 

PS: fotos do site da Disney, de artistas desconhecidos e de minha autoria

Sapato na mala

Quando deixamos de ter ligação direta ou indireta com escolas e faculdades, tirar férias se torna mais tranquilo e fácil em todos os outros meses do ano. É nessa hora que muita gente pensa de fato em suas roupas, no que precisa levar e principalmente como vai fazer tudo caber na mala, então o assunto mala de viagem sempre vem a tona. Achei curioso o fato de ter recebido perguntas de duas clientes sobre a mesma duvida: os sapatos! Quantos e quais levar??imagem 1 sapato na mala

Sapato é maravilhoso e sempre queremos levar todos, pra usar um por dia, mas quando o assunto é viagem, eles são os piores pesadelos das malas, pois ocupam muito espaço. Então não tem jeito, temos que economizar nos pares. Vou contar a historia dessas clientes pra vocês pegarem de exemplo na hora de fazer a própria seleção de sapatos de férias.

A cliente “M” ia passar 25 dias em Orlando em setembro, entre parques, compras e praias. Como lá está calor, é indispensável levar um chinelo e uma sandália rasteirinha para os dias de passeios de gente grande. Mas quando chegamos ao fantástico mundo da Disney, o melhor é voltar a ser criança e colaborar com o seu corpo que vai passar o dia todo em pé e andando, pra isso, não tem nada melhor do que tênis. Considerando que muitos brinquedos molham, é aconselhável levar dois pares, para o caso de não secar de um dia para o outro. No caso de um programa mais chic, um salto pode ser muito útil. E é isso, só isso! 5 pares de sapato pra 25 dias: 1 chinelo, 1 rasteirinha, 2 tênis e 1 salto.imagem 2 sapato na mala

Já a cliente “T” tem um itinerário totalmente diferente, 10 dias na Europa no final de outubro, passando por 4 países. Nesse caso, o foco são as botas, pensando que o outono europeu é, muitas vezes, mais frio que o nosso inverno. É fundamental ter 2 botas na mala (sempre é bom pensar em 2 pares do sapato foco da viagem, no caso de um machucar, molhar, estragar), pra quem tem aquelas botas forradas pra neve, é uma ocasião perfeita pra tirar elas do armário e colocar na mala. Eu também aconselho levar uma sapatilha, pois o tempo é doido no mundo inteiro e nunca se sabe se o clima pode esquentar.  Chinelo sempre é bem vindo em malas pra qualquer destino, principalmente pra ficar no hotel, então, coloque um na mala. Em comum com Orlando, é bom levar um salto no caso de programas mais elegantes, mas dessa vez, um bem fechado e quentinho.  Se a viagem for para um lugar de neve, é importantíssimo escolher sapatos com sola de borracha, que não escorregam.imagem 3 sapato na mala

Em ambas as situações, indiquei 5 pares de sapatos por 3 motivos:

1°: sapato pesa e ocupa muito espaço na mala

2°: com looks coordenados, esses pares são mais do que suficiente. Serio, não precisa de mais.

3°: Na Europa, mas principalmente nos Estados Unidos, comprar sapatos é barato e divertido. Então, com certeza você vai trazer alguns na volta, reserve espaço para eles!

Mas independente de quantos pares forem viajar com você, o mais importante é que eles sejam completamente confortáveis, pra conseguir aguentar o dia todo no pique, porque ninguém merece parar o passeio por causa de dor no pé causada por sapato desconfortável.

 

PS: fotos da Shoestock, Adidas, Havaianas e artistas desconhecidos