Arquivo da tag: dress code

Vamos descer do salto?!

Salto é lindo, é chic e é elegante, mas em toda a minha vida só encontrei uma mulher que dizia se sentir confortável de salto e não de sapatos baixos. Até hoje eu me pergunto se esse conforto que ela dizia ter era emocional ou físico, aposto que era psicológico.

Essa semana vimos dois eventos muito sérios sobre o uso de saltos altos: O da garçonete canadense com os pés extremamente machucados por ser obrigada a usar sapatos altos no trabalho. E as atrizes no tapete vermelho de Cannes descalças e com seus saltos grifados nas mãos como forma de protesto.imagem 1 descendo do saltoimagem 2 descendo do salto

O dress code manda usar salto em festas e eventos sociais e corporativos e quem não quer seguir a regra é vista como desleixada. Mulheres, nós conseguimos nos livras dos espartilhos ha muito tempo, como ainda continuamos escravas dos saltos?

Não acho nem que essa seja uma questão apenas de feminismo – pois o dress code corporativo masculino também é uma crueldade no verão – mas sim algo relacionado a aceitação do conforto de mãos dadas com a moda e com a elegância. Nos livramos de muitas “tendências”  dolorosas ao longo da história, está mais do que na hora de descer do salto e abrir os olhos para novas formas de mostrar refinamento em eventos chics, pois nada é mais estupido do que sentir dor em nome de algo que deve trazer felicidade, no caso, a moda!

 

Fonte:

Imagem 1: Facebook de Nicola Gavins

Imagem 2: Instagram @nohangersbarred

Roupa de festa precisa ser cara?

A primeira atividade mais pedida ao Compras com Estilo é a renovação de armários, a segunda é uma ajuda na hora de escolher um vestido de festa. Essa semana aconteceu o casamento da Fernanda Souza com o Thiaguinho e um fato em especial chamou minha atenção, o vestido da Anitta da coleção Versace para Riachuelo e o rebuliço que se criou em torno dele…imagem 1 roupa de festa precisa ser cara

É uma duvida muito comum entre as mulheres o vestido que deve ser escolhido para ocasiões como casamentos e os valores acabam fazendo a convidada da festa quase ter um infarto. Roupa de festa é mais cara do que peça para usar no dia a dia, principalmente porque o acabamento é mais delicado e os materiais mais sensíveis, o que encarece a produção, mas isso não quer dizer que você precise gastar rios de dinheiro para ter um bom vestido, ainda mais se a peça for usada uma única vez.

Não gosto dessa ideia de roupa descartável, mas em algumas ocasiões inevitavelmente acaba acontecendo da gente usar umas 3 vezes o vestido e depois passar pra alguém, pois  já o utilizamos em todos os ciclos de amigos e família. Aos poucos acho que vamos parar com essa bobagem de não poder repetir roupa, mas é uma tarefa difícil até mesmo para as mulheres mais seguras para não se importarem em aparecer nas fotos de todos os casamentos com o mesmo vestido.

Mas o fato é que nunca usamos muitas vezes roupas de festa, então aproveitar um vestido com bom preço é uma ideia sensacional e já aprovada até por celebridades no Oscar. Não importa se a peça é assinada por um grande estilista ou comprada numa loja de departamento, se deixar quem a usa elegante e dentro do dress code da festa (o da Anitta podia ter uma fenda um pouco menor), será uma ótima escolha!

 

PS: foto do site Chic

Homens de saia no trabalho

Hoje o Rodrigo Faro foi de saia pra Record, o que acabou virando noticia. Mas antes dele, um funcionário publico usou a vestimenta pra aguentar o calor em seu trabalho no RJ. Um jeito de se refrescar? Uma forma de protesto? O que pensar quando um homem veste saia? É adequado para o ambiente formal? Essas e varias outras perguntas passam pela cabeça das pessoas ao lerem essas noticias, então resolvi comentar o assunto…imagem 1 homens de saia no trabalho

Saia ser uma vestimenta unicamente feminina não passa de uma convenção social. A cultura nos levou a essa regrinha, que muitas pessoas obedecem sem ao menos questionar se seria favorável aos homens incluir a peça no armário.

Mas não acredito que o que está acontecendo seja um movimento a favor de aderir a saias nos escritórios, mas sim de dar um choque a população e ao famoso dress code que obriga os homens a trabalharem de calças, ternos, gravatas e camisas de manga longa nesse calor infernal.

Mais do que uma questão estética, é uma questão de saúde. As temperaturas estão altíssimas, e só de imaginar ter que usar toda essa parafernalha o dia todo me faz quase sentir a pressão cair.

Os homens que aderiram as saias, o fizeram porque foram proibidos de usar bermudas em dias de calor escaldante e muitas vezes passam o dia circulando em um ambiente sem ar condicionado e com temperaturas elevadas.

A bermuda foi banida do que é aceitável pro ambiente corporativo, mas a saia nem foi cogitada, pois seguindo a convenção, não é roupa masculina e nem deve ser levada em consideração, ainda mais em uma sociedade machista e preconceituosa.

Concordo que o que vestimos está conectado a maneira que somos percebidos. E principalmente em um ambiente profissional, as empresas esperam funcionários bem apresentados e elegantes, não com cara de que vão tomar um açaí em pleno horário de trabalho.

Mas precisamos ser realistas e aprender com as mudanças. Acima de tudo o bem estar das pessoas deve ser levado em consideração, pois uma regra que agride nossas necessidades básicas é no mínimo questionável.

A moda já vem gritando soluções pra esse problema faz muito tempo, mas ninguém parece notar as bermudas de alfaiataria e tecidos leves que são lançados todos os anos nas passarelas, mas negadas pelo consumidor.

Aí vão me falar de lã fria, que de fato ajuda na temperatura e é um ótimo tecido, mas em dias em que o calor beira os 40°C, não é suficiente.

De qualquer forma existe saída pro mal estar gerado por roupas excessivas em climas prá lá de tropicais. Basta ter bom senso e vamos conseguir equilibrar o dress code empresarial com o conforto desejado, basta abrir a cabeça e explorar as possibilidades sem preconceitos.

 

PS: fotos do Ig e da Globo.