Arquivo da tag: relogios

Entendendo o mercado de luxo com a Hermès

Quem foi visitar o Festival de Métiers na Faap nesses últimos dias já deve imaginar o motivo de usar a Hermés pra falar sobre o mercado de luxo. A marca trouxe muitos artesãos para o Brasil com o intuito de mostrar ao publico como funciona a produção de suas peças icônicas. Foi incrível ver todo o processo ao vivo e poder observar como essas pessoas trabalham. Assim, podemos entender o mundo do mercado de luxo e o porquê de seus valores.imagem 1 entendendo do mercado de luxo com a hermes

Marketing a parte, é possível perceber o que leva uma bolsa a custar a partir de 5 mil euros. Parece um absurdo? Realmente é se pensarmos só na quantia em si, mas quando paramos pra ver a confecção do produto, dá pra entender e até considerar um investimento aceitável.

Comecei a exposição assistindo bem de perto a produção de uma bolsa Kelly, onde o artesão faz tudo a mão, desde as costuras, acabamentos, detalhes, assinatura e o que mais precisar. Depois de cortada, o profissional leva 18 horas para montar uma bolsa. É realmente impressionante ver o nível de cuidado e detalhes em cada etapa. (Fiquei hipnotizada nesse processo por meia hora, e consegui ver um pouco da costura da bolsa e o processo para a construção das tiras que fecham na frente, depois fui ver os outros produtos, ou a exposição iria fechar e eu só teria visto a bolsa!)imagem 2 entendendo o mercado de luxo com a hermes

Depois, passei pela mesa dos relógios, onde dá pra ver como cada estágio é concluído de forma precisa e delicada. Essas peças são as únicas da marca que são produzidas na Suíça, sendo que todos os outros produtos vêm, necessariamente, da França. Todo o processo é confeccionado a mão, com exceção de uma maquina usada para calibrar o relógio, o resto tudo é manual.imagem 3 entendendo o mercado de luxo com a hermes

O mesmo acontece com as joias, onde um artesão constrói cada detalhe com o auxilio de um microscópio, uma lupa e varias ferramentas, para deixar o produto perfeito e impecável.imagem 4 entendendo o mercado de luxo com a hermes

Falando em impecável, esse é o lema da Hermès em todas as linhas, não é admitido nenhum erro, por menor que seja. No mercado de luxo, não existe erro pequeno ou grande, todos são imperdoáveis e o controle de qualidade é minucioso pra não deixar escapar nada. Qualquer item fora do padrão faz a peça ser descartada e usada para os profissionais iniciantes aprenderem o oficio ou recicladas.

Também é impressionante ver como os carrès (os famosos lenços da Hermès) são feitos. O nível de detalhe e cuidado para cada linha sair perfeita e cada cor ficar em seu devido lugar é incrível. Nesse processo tudo também é feito a mão. Em alguns momentos, é necessária a ajuda de um aparelho para aplicar a cor nos tecidos, porem isso é feito da forma mais manual possível, deixando sempre uma pessoa no controle de tudo.imagem 5 entendendo o mercado de luxo com a hermes

As gravatas são todas costuradas a mão. As estampas exclusivas são criadas da mesma forma dos carrés e depois de ter o tecido pronto, uma pessoa costura tudo a mão, aproveitando técnicas onde o tecido não amassa e pode ser esticado depois de uma eventual dobra. Esse truque jamais conseguiria ser imitado por maquina, somente uma pessoa é capaz de fazer. As medidas são padrão, mas existem algumas diferenças ente um modelo e outro. Em media, um artesão demora meia hora para costurar uma gravata.imagem 6 entendendo o mercado de luxo com a hermes

As louças também são pintadas a mão, uma artista cuida de todo o processo de produção. Parece simples, mas existem pelo menos umas seis etapas até um prato ficar pronto.imagem 7 entendendo o mercado de luxo com a hermes

O mesmo acontece com as selas, são criadas a mão por um profissional especial. Imagina a dificuldade de montar e costurar uma sela?!imagem 8 entendendo o mercado de luxo com a hermes

Com todo esse cuidado, dá pra entender porque existe fila de espera para alguns modelos. Além disso, a produção é exclusiva e feita com o maior carinho e atenção por uma pessoa que acompanha o passo a passo até a peça ficar perfeita. Nessas horas a gente entende o que é o mercado de luxo e porque os produtos valem o que custam. Foi incrível ver tudo isso de perto, passei a admirar ainda mais a Hermès e seu trabalho sensacional!

 

Gastar muito é ruim?

Na grande maioria dos meus trabalhos, os clientes me perguntam o quanto devem gastar com suas roupas. A minha resposta é simples: gaste o que puder, nem mais, nem menos. Digo isso pelo fato de que investir em peças boas é um ótimo negocio, mas só se você está no momento financeiro que permita isso, ultrapassar os limites nunca é uma boa escolha.

Do lado oposto aos que perguntam se devem abrir mão de outras coisas na vida em favor das roupas, existem as pessoas que olham as vitrines de luxo e se escandalizam com os preços cobrados por um vestido, um terno, uma bolsa ou um relógio.imagem 1 gastar muito é ruim

Uma vez ouvi de um cliente que se ele tivesse um amigo que mostrasse que comprou um relógio de 500 mil reais, ia romper a amizade por achar aquilo absurdo. De fato é um valor astronômico e inimaginável pra grande parte das pessoas para ser gasto em um relógio.

Mas ainda assim, não julgo mal quem faz esse tipo de escolha. Apesar de ser uma peça totalmente extravagante e do ponto de vista pratico ser realmente desnecessária, afinal, ninguém precisa de um relógio desses, assim como milhares de outras coisas caríssimas que encontramos em muitas lojas.  Quem opta por comprar uma peça de extremo luxo, busca produtos de excelente qualidade, design único e se identifica com o conceito da peça ou da marca. Quem compra peças nesse estilo, com certeza não está se endividando pra adquirir o bem, e é aí que está a diferença.

Esse exemplo foi bem extremo, mas acontece com valores bem menores, que se encaixam na categoria de luxo e provocam diversas reações e duvidas a respeito dos próprios produtos e de quem os consome.

Acho que todos nós trabalhamos para poder viver da melhor maneira possível e ter direito a alguns luxos – que pode ser um produto caro ou um sorvete calórico na sexta a noite- então não é ruim gastar com algo que te faz feliz, desde que isso não prejudique outras áreas da sua vida.

 

PS: Foto do facebook da IWC